3 de fevereiro de 2016

Petscan, Cateter, Kadcyla, férias... tudo num post só!

AnaMi Targaryen se achando a renascida do fogo kkkk 

Eu e minha mania de abrir exame dentro do carro. Eu admiro quem consegue ter o sangue frio de seguir aquele velho conselho de manter o envelope lacrado até a visita ao médico. Tá doido. Eu não ia nem precisar saber o resultado pq morreria de siricutico no coração antes de chegar lá. Eu sou curiosa, eu não aguento, eu tenho necessidade de saber logo a verdade, seja ela qual for, e isso vale para todos os campos da minha vida (sério rs).  

Eu li o diagnóstico da metástase assim, dentro do carro. Já estava há 15 dias com essa dúvida martelando na minha cabeça até que liguei no laboratório e me avisaram: já está disponível, pode vir buscar. Fui à noite, depois do expediente, uma pressa que mais parecia que eu tava fugindo de uma explosão atômica. Eu precisava ver o resultado sozinha. Protegida pelos vidros fumê teria tempo para raciocinar o que fazer diante da futura realidade. E foi ali, na minha solidão sob quatro rodas, que eu descobri que mais uma vez teria que enfrentar aquele doloroso inimigo.  Não chorei. Fingi que não doeu. Dei algumas voltas sem rumo até chegar ao meu destino.  Por acaso ou não, meu compromisso aquela noite era em uma igreja católica. Estacionei, entrei naquele lugar cheio de energia, vi meu cunhado e aí a ficha caiu “estou com câncer de novo”.

Os meses se seguiram, muitos exames, muitas idas e vindas a laboratórios, médicos, clínicas, tratamentos alternativos...  cada hemograma era uma emoção diferente. Cada ressonância então, vixiiiii teste cardíaco. Se meu carro falasse teria diploma de medicina com especialização em oncologia pq vcs não tem noção do quanto eu falo sozinha dentro do carro repassando tudo o que eu preciso fazer, o que deu certo, o que deu errado. Fora que estou super  famosa entre minhas amigas pq gravo áudios eternos no trânsito com informe oncológico (e outros assuntos kkkk). 

No dia 01/02 revivi a ansiedade daquela noite em maio do ano passado quando recebi o diagnóstico. Fui buscar o primeiro PET depois de 4 meses usando as novas medicações. Acho que mergulhar em uma piscina com cobra me assusta menos do que abrir um PET kkkk afff. Decidi mais uma vez ir sozinha. Nos últimos meses tentei não criar expectativas. Na minha cabeça já tinha decidido que se tivesse diminuído “só um pouco” já me daria por satisfeita. Tentei fingir frieza pra mim mesma pensando “vou buscar só à tarde... tenho umas coisas pra fazer” até parece... acordei e já fui logo resolver a parada “quero saber a verdade de uma vez”.

E ali, dentro do carro,  no meio da rua,  descobri a delícia que é não criar expectativas: TUMOR SEM ATIVIDADE! Chorei, ri, chorei, ri e gravei áudios malucos cheios de delicadeza (caralhoooo, pqpppp, chupaaaaa) para algumas pessoas que estavam tão ansiosas quanto eu. Eu consegui. Eu coloquei esse FDP pra dormir. Na minha solidão só conseguia agradecer, chorar, sentir o alívio de quem acaba de descobrir que poderá recomeçar. Estava pesado demais tudo isso. Naquele momento dentro do carro nasceu uma nova esperança, uma sede incontrolável de viver ainda mais.

Ainda tenho 2.2cm de tumor (sem atividade) no meu fígado. O médico decidiu manter a quimioterapia com Kadcyla mais alguns meses. Acredito que esse 2.2cm é só um restinho de lixo que meu corpo vai se encarregar de eliminar sem precisar de cirurgia. Quem precisa conviver com uma realidade de câncer metastático sabe que não posso falar em cura. Mas, genteeee... como diria minha irmã “tô tomando posse da graça”. Pode não ser a cura definitiva, mas pera lá... ESSA metástase eu venci. O futuro não interessa. Minha realidade do momento é que eu estou bem, saudável e no final de um tratamento que foi extremamente pesado.  Então vamos lá... pé no acelerador... vida que segue!


Fora isso...
 Recebi alguns comentários perguntando sobre como é a vida com o Port a Cath (o cateter por onde a medicação é administrada).  Gente, pra mim é a melhor coisa do mundo. As primeiras 3 sessões de quimio foram na veia e no total recebi 20 furadas... ninguém merece. Teve uma quimio que demorou 8 horas pq a medicação entra rasgando tudo e aí eu perdia os acessos. Tudo ficou muuuuuuuuuuuuuuito melhor depois do cateter. A cirurgia é simples e eu saí do hospital no mesmo dia. Com ele é tudo mais rápido, prático e vc nem sente a medicação entrando. Amo meu cateter. Se o médico pediu pra vc colocar, vá sem medo de ser feliz. Honestamente, hoje, nem lembro que ele existe. Se sua preocupação é estética então converse com o cirurgião... eu falei para o meu caprichar senão eu ia colocar o nome dele na boca de um sapo feio e gordo e despachar no tietê. Deu certo. Ele fez de um jeito que ficou incrível... só dá pra perceber o cateter se passar a mão.

Cateter? Que cateter??? kkkk

Sobre o Kadcyla
Vai ter que fazer essa medicação???? Não se preocupe, ela é incrível, uma das mais modernas atualmente. Ela atua em tumores metastáticos Her2+. É uma combinação de um quimioterápico chamado Entansina + Herceptin (terapia alvo). O Kadcyla (TDM1) também é conhecido como “cavalo de tróia” pq joga a quimioterapia dentro da célula doente por isso são pouquíssimos efeitos colaterais. No meu caso apenas fadiga, dor no corpo e queda das plaquetas. Acho que é o futuro da oncologia criar medicações que transformem o câncer em uma doença crônica como diabetes e hipertensão, onde o paciente pode viver muitos e muitos anos com qualidade apenas usando medicação de controle.

Fériasssssssssssss
Sim, muitos me julgaram, mas eu decidi seguir meu coração e fui realizar meu sonho de ver neve entre uma quimioterapia e outra. Ahhhh gente, quero que se foda tudo. E p* no c* de quem acha um absurdo as coisas que eu faço por mim (vidinha agitadíssima kkk) "Ué, mas ela não tava doente???" Tô doente, não tô morta carai ZZZzzzZZZ. Na boa, não vou ficar à mercê dessa doença. Estava me sentindo bem, viajei. Simples assim. E foi perfeitooooooooooooooo!!! Levei um arsenal de remédio mas não usei nadaaaaaaaaaaaaa, nem dor de cabeça eu tive. E foi demais, por 17 dias me desliguei de câncer, de problemas, de burocracias....  minha única preocupação foi me divertir... e quer saber, acho que essa viagem também foi fundamental no resultado do PET.

Love Canadá!!!!





 



Ano passado abri minha mente para o mundo invisível que nos cerca. Estou aprendendo a meditar todo dia e cada vez mais percebo o poder de transformação que nossa mente tem. O Universo sempre está disposto a nos trazer o belo e o bom “de modo perfeito e em tempo hábil”. Um dia quero postar aqui sobre todos os aprendizados que estou passando em relação a isso. Estou contando pq queria trocar algumas experiências com vocês. Alguém aí faz tratamentos alternativos como Reike, meditação, alimentação alcalina??? Me contem...

Ahhhh já sei, vc tá arrasada pq não falei sobre meu cabelo (impressionante como vcs gostam desse assunto kkkk) vou falar... deixa completar 6 meses que eu mostro o crescimento mês a mês.

Por hoje é isso... tô aqui refazendo meus planos. Acho que vou voltar a trabalhar J Estou fazendo dança do ventre  (uhuuuu agora to oncorebolativa)  e vou retomar o ritmo de corridas.  Aos poucos tudo vai voltando ao normal... e se vc chegou aqui pq acabou de descobrir uma metástase te garanto, é possível conviver muito bem com a doença. Faça sua parte não se entregando.  Escolha ser a estatística boa! Escolha curtir cada segundo dessa vida maravilhosa.... é o que temos de mais importante afinal !!!


Bjjjjjjj

17 de janeiro de 2016

O primeiro abraço do ano novo

Virar o ano sempre teve algo de mágico pra mim. Claro, é só mais um dia de uma sequência ilimitada onde o sol vai nascer, atingir o topo e se pôr. Mas tem algo de mágico no 31 de dezembro. Sempre reflito sobre tudo o que passei, as dores, as delícias, as novas bagagens. Meu lado superticioso também acaba ligando o ano seguinte à energia que eu estava na virada anterior. Você pula ondas, come uvas, usa calcinhas coloridas e bebe champagne?  Eu crio teses energéticas e brindo com tequila kkkk. 

2006 por exemplo foi um ano muito complicado.  Fiquei desempregada, briguei feio com meu pai, tinha uma melhor amiga que me trocou por um macho bosta qualquer, enfrentei tudo e todos e rasguei meu diploma pra seguir uma banda alternativa "mágica" onde os integrantes, todos muito “liberais” e "sem julgamentos" (zzz), não se decidiam se me colocavam na panela do “é bonita, gostosa, deve ser puta” ou “não fuma maconha, nem topa suruba, mente fechada, careta”...  tanta confusão  e julgamento que no final de 2006 em nem sabia direito onde me encaixava  e porque as pessoas se mascaram tanto por trás de discursos que não se refletem nas atitudes...

Estava triste, decepcionada e na virada tomei um porre homérico, vomitei até a bile, saí carregada, fundo do poço total. Mas no dia seguinte pensei  “Ei, isso não é ruim... coloquei pra fora todas as energias negativas... 2007 será perfeito”. E foi! Logo no início do ano, me libertei da amiga tóxica, do emprego furado e descobri que existia amor à primeira vista, ou no caso, primeiro sorriso. E foi fulminante. Foi rápido. Foi intenso. Foi único. Em 31 de Dezembro desse ano dei  o abraço mais perfeito de todos com a certeza de que estaríamos juntos por todas as próximas viradas de nossas vidas.

Cabelão #saudades kkkk
E os anos se seguiram, sempre o mesmo primeiro abraço,  a certeza do eterno, anos repletos de conquistas, lutas,  alegrias, amor, família, conversas deliciosas e vinho no sofá de casa (o que eu mais gostava na vida), amigos, encontros, viagens, planos, era especial...  Até que na virada para 2014 algo aconteceu. Não foi nele meu primeiro abraço... e ali já senti que o ano seria difícil. Dito e feito! 

Ele queria muitas coisas aos mesmo tempo. Eu só queria estar com ele. Ele queria saber se era desejado ainda. Eu só queria que bastasse o meu desejo. Ele teve dúvidas. Eu precisava ter de volta a certeza. Ele queria o frio na barriga. Eu queria mostrar que a paz do amor tem muito mais valor do que a euforia irracional da paixão. Ele queria a liberdade adolescente. Eu esperava dele o porto seguro da maturidade. Ele evitou o que sentia por mim. E disse que o eterno não o fazia mais feliz. E de todas as formas eu dei meu amor e tentei mostrar que o  que tínhamos era especial e felicidade era apenas uma questão de escolha. 

Em uma data especial neste ano reunimos a família e mais uma vez ele prometeu o eterno, declarou a força de um amor que supera tudo e ali no meio de um turbilhão de dúvidas e sem entender nada da atitude dele pensei “sou louca, vai ver ele não foi o primeiro abraço de 2014 para que renovássemos agora a nossa certeza”. Mas palavras se perdem no vento na velocidade de um suspiro. Ele passou a querer o mundo. E eu desisti. Minha intensidade nunca preencheria as dúvidas e o vazio dele. Ele queria o raso, o superficial, a incerteza, a descoberta. E decidimos pelo Adeus! Em plena véspera de ano novo. Enquanto eu chorava ele já fazia planos com outro amor, como se tudo o que tivesse vivido fosse uma perda de tempo  e ele tivesse pressa em viver muitos frios na barriga. Virei o ano sem abraço nenhum, sem planos, sem vontade de nada. E aí já sabia que 2015 seria difícil. Do começo ao fim.

Longe de mim ele já não era o mesmo. Um completo estranho. E eu pra ele virei uma burocracia, que simplesmente precisava ser "resolvida".  Tanta loucura e sofrimento que não consegui controlar, acordou minhas células mutantes e aí você já sabe a história... Não pude nem viver o ciclo do luto do coração partido. Já tive que partir pra maior das batalhas: sobreviver. E nessas horas fica tudo tão pequeno.  As brigas, mágoas, tristezas, tudo ficou pra trás. Dentro de mim só tinha forças pra pensar que não era possível minha vida acabar assim. Fui devorando os dias, usando cada gota de força pra acabar logo com isso e eu ter a chance de retomar meus planos de vida pacata e em paz. 

No dia 31 de dezembro de 2015 eu estava cercada de amor e emocionada. Por ter sobrevivido, por não surtar, por manter a dignidade, por ter esperança, por confiar que tudo o que passei de ruim se converterá no dobro de coisas boas.  

Dei o primeiro abraço em mim mesma, esse sim o único amor que me garante a certeza do eterno. E minha interpretação é que em 2016 farei as pazes com o amor próprio, o câncer vai sumir como num passe de mágicas, vou juntar os cacos de coração e renascer. O aprendizado que fica é que não importa como e com quem você vira o ano, são as atitudes e os sentimentos que carrega ao longo dele...


Que em 2016 você VIVA o que vc fala ( ou diante da nova realidade posta kkk).
Que enxergue o outro.
Que enxergue a si e busque diariamente se tornar uma pessoa melhor.
Seja honesto, seja humano.
Realize sem atropelar ninguém.
Seja grato.
Escolha ser feliz.
Escolha aprender com amor.
E se a dor vier, lute!
Respeite!
Guarde só o que for bom!
Pague ódio com amor. Porque o ódio volta o Amor volta tbm!!!
Ame-se!
E no final do ano dê o primeiro abraço em vc e diga “nosso ano foi incrível, imagina quanta coisa boa vem por aí”...

Feliz 2016!




1 de dezembro de 2015

Pisca-pisca de florzinha de papel ( com passo a passo)


Tá chegando a época mais delícia do ano, depois das minhas féria, é claro kkkkk.  Tudo bem que esse ano ficou tudo bagunçado... não tive férias, o ano passou rápido, foi tudo confuso e caótico. Maassss, adorooooo o mês de Dezembro e por isso hoje o papo é sobre decoração de Natal :) eeeeeeeeeeeeeeee delícia demaisssss.... amo ver a casa cheia de penduricalho fofo. Esse ano a decoração está simples, mas tô apaixonada... especialmente pelo pisca-pisca de florzinha que EU FIZ uhuuuuuuuuuuuu AIKE artista. É fácil gente, mega barato e fica lindo demais.... 

Material: o pisca rejeitado de outros natais kkkk 
Forminhas de docinhos (custa menos de R$ 1)
1 prego ou qquer coisa que faça um furinho bem pequeno

Eu peguei esse tipo de forminha pq dá um efeito mais parecido com florzinha, mas pode usar aquele com a bordinha reta, fica parecendo um copinho... lindo tb!

Sente no sofá confortavelmente e pratique essa terapia!!!! 

Faça um buraquinho no centro

Aí é só encaixar no pisca... dá pra fazer de várias formas. Basta virar "do avesso" a forminha para a parte colorida ficar pra baixo).

Deu pra concluir a arte durante metade da sessão da tarde hahahaha fácillllll

E Tcharammmmm <3 Parece poesia né?

Usei pra enfeitar o jardim vertical que tem no meu quintalzinho... sério, dá até aquele friozinho no coração de tão lindo que ficou!

O legal é que mesmo com as luzes apagadas as forminhas deram um colorido especial à minha casa

Fofo né? Aí vc pode usar sua criatividade... fazer com forminha branca e luzes coloridas, forminhas coloridas, luzes brancas... muitas possibilidades. E dá pra usar em muitos lugares da casa! Fica moderno e ao mesmo tempo romântico. O que acharam???

Agora mais uns detalhes do meu Natal:

Como não montei a mega árvore esse ano, espalhei alguns enfeites fofos pela casa :)

Cantinho do bar tb ganhou detalhes especiais.

Mini árvore no painel, ursinhos, vela vermelha e a palavra que inspirou minha tatuagem :) 
Acreditar tem tudo a ver com esse clima de renovação de final de ano!


Aquele pedido único: VIDA 

Agora, aproveitando o clima natalino, um pequeno desafio proposto pelo querido Maurício Patrocínio, uma pessoa muito especial que largou um cargo de executivo em uma mega empresa pra tentar mostrar para as pessoas que FELICIDADE é ESCOLHA. O projeto dele se chama "Discutindo a felicidade" e vocês podem acompanhar pelo Face: https://www.facebook.com/discutindoafelicidade 

Conseguem???? 
Quando você pratica fica fácil e vcs não fazem ideia de como a vida fica colorida!

Mesmo com esse ano difícil que enfrentei não consigo reclamar de nada. Tive perdas... mas em compensação ganhei vida, ganhei maturidade, ganhei amigos, ganhei uma família muito unida, ganhei abraços, ganhei amor, ganhei oportunidades, ganhei a chance de ajudar outras pessoas, ganhei $$ (ser PRÓSPERA é bem diferente de materialista... e sou muito grata pelas conquistas que sempre tenho nessa área), ganhei respeito, ganhei cabeça em paz, ganhei alegrias, ganhei felicidade.... e dessa não abro mão nunca mais!

Desafio feito!!! Pare de reclamar... seja grato ao seu HOJE e feliz de verdade!

É isso.... depois volto pra atualizar sobre o tratamento! Mas está tudo bem :) Já tenho até cabelos!

Amo vocês!!!

23 de outubro de 2015

Sobre como “quase” me mataram em vida...

Minha cara de quem tá morrendo... 
Tenho certeza que todo mundo, em algum momento, já pensou em como seria morrer. E não estou falando do debate religioso/filosófico sobre o que vem depois. Mas sim dos minutos que antecedem o ato em si. A fechada de olhos final. Qual seria a reação das pessoas? Quem ia chorar? Quem pediria desculpas ali nos últimos segundos? Quem finalmente falaria aquele “eu te amo" engasgado há tanto tempo? Quem realmente se importaria com a sua ausência? Certeza que nesses pensamentos você também planejou “ ahhhh não vou pra luz não, quero ver quem vai ficar triste de verdade” kkkk anda confessa, já pensou isso...

Aí te conto que sou privilegiada hahahahah (baixou aloka) eu vivi tudo isso VIVAAAA. Explico. No dia 17 de setembro abri a primeira ressonância depois de 10 ciclos semanais de Taxol... e, diferente da expectativa  geral, especialmente médica, lá dizia que o tratamento não tinha funcionado e a doença havia progredido a ponto de ter um tumor novo.  Dotô não conseguiu disfarçar a surpresa, escolheu as palavras e eu ali ouvindo tudo aquilo e pensando “resumindo... fodeu... vou morrer”.  

Fiquei 48h catatônica. Olhando para o nada sem conseguir evitar as lágrimas. A cabeça a mil. A loucura de tudo é que a única certeza que temos na vida é a morte. Ela chega. Pra todo mundo. E muitas vezes sem pedir licença. Acontece e pronto acabou. Muitas vezes não dá tempo nem de refletir. Você tá lá dirigindo seu carro, vem um imbecil bêbado e tchau mundo. Masssss, poucas pessoas realmente se dão conta disso. A vida acaba... cedo ou tarde. E não importa as milhares de horas que investiu estudando, ou trabalhando, ou os emails que tem pra responder, as metas financeiras que estabeleceu, aquela blusa linda que não usou esperando “a ocasião”, as pendências emocionais. Nada importa. Acho que todos deveriam ter esse encontro com a realidade... pensar no fim abre os olhos para muitas coisas e sentimentos.   

Virar pacote sem ver ela
crescer? Sem chance!
Em dez dias vivi com a certeza de que ia morrer. E vou te dizer...  é uma dor profunda... daquelas que dá vontade de gritar. Olhava pra minha sobrinha e a dor cegava “não a verei crescer”. Olhava pra minha mãe e pensava “será que ela tem noção do quanto a amo? Não queria nunca causar esse sofrimento a ela”. Olhava pra mim e pensava “como foi que cheguei a isso? PQPPPP³³³”.

Tive que conversar sobre testamento. Pensei em virar vidaloka bêbada, drogada, jogada na cracolândia hahahaha ou vender tudo, me mudar para o caribe rica pra morrer com glamour. Ouvi muitas vezes que tudo acontece de acordo com a vontade de Deus. Vi olhos lacrimejando, choro preso. Vi a dó estampada na testa de muitos e alguns até já se conformando “é assim mesmo Ana”.  Tive também que aliviar algumas almas angustiadas pela culpa “relaxa, não vou puxar seu pé a noite ;)”. Também recebi  contato de pessoas que não falo há aaaaaaaaaaanos e todos dispostos a realizar meus últimos desejos. Até aqui no blog uma pessoa notou que fazia tempo que não postava e comentou “Acho que ela faleceu”...

Pois é Brasil, me mataram antes da hora... e eu “morri” tb.  Foi aí que lembrei de Paulo Leminski, que muitas vezes traduziu em versos meus sentimentos:

“Já me matei faz muito tempo
me matei quando o tempo era escasso
e o que havia entre o tempo e o espaço
era o de sempre
nunca mesmo o sempre passo

morrer faz bem à vista e ao baço
melhora o ritmo do pulso
e clareia a alma

morrer de vez em quando
é a única coisa que me acalma”

Povo achando que eu tava morrendo e eu viajando pra evento do
Outubro rosa kkkk
MORRER CLAREIA A ALMA... Ei? Como assim morrer? Pq estão me matando quando me sinto extremamente viva? Tenho 32 anos e “carrego em mim todos os sonhos do mundo”.  E minha chance?  E o filho que ainda vou  ter? E a casa com jardim? E o projeto de ajudar mulheres a enfrentarem o câncer com bom humor? E o casamento dazamigas? E o sertanejão de domingo com as meninas? E os brindes? Os churrascos? E a delícia de viver uma rotina em paz? E o amor que vai dividir as alegrias e tristezas até o fim? E a festa de 15 anos da Gi? E meu mochilão pela Europa? E as aulas de dança do ventre? E a viagem pra andar na maior montanha russa do mundo? E tantas coisas que quero sentir e viver por aqui?

Com a alma clara, consegui ver o óbvio... as pessoas não entendem o câncer. Ele não significa sentença de morte fulminante. No meu caso, significa apenas que, diante do que a medicina oferece hoje, terei compromisso com exames de controle e medicações. Como um diabético, hipertenso ou cardiopata. Posso morrer de câncer, atropelada, de choque elétrico, de ataque do coração... mas senta que eu vou te dar uma notícia: VC TAMBÉM! Vamos ao clichê: QUEM É QUE SABE O DIA DE AMANHÃ?

Pulando 7 ondas atrasada pra ver se o ano começa kkkk
Daí, com as  rédeas na mão e a cabeça de volta ao lugar, avaliei, pensei, pesquisei, arregacei as mangas, quebrei o cofrinho e fui num médico pica das galáxias no Sírio Libanês (eu amo e confio no meu médico, mas ouvir uma segunda opinião pode ajudar)... 3 horas de avaliação e ele disse “você está melhor que eu” “seu exame está errado... laboratório meia boca” “esse nódulo tá localizado em um lugar que não fede nem cheira no fígado, vc não corre risco” “a doença está sob controle” “faz o PetScan pra você ver”.

Foi como se ele usasse o desfibrilador em mim e eu voltasse a respirar hahahaha Mas, ainda tinha o petscan pra enfrentar... é o exame mais assustador do mundo oncológico pq ele mede o nível de atividade do tumor (o qto ele está vivo e te fodendo) e também encontra nódulos onde nenhum exame pega.  Fiz o exame com o cú na mão, desesperada... foram dias de angústia até o resultado. E quando abri foi sem dúvida um dos maiores alívios da vida:

Não tem tumor novo. Está apenas no fígado. O nódulo maior diminuiu e está com baixííííssima atividade. Como sugeriu o médico: a doença está sob controle a ponto de nem precisar mais de quimioterapia.  Sim meus caros, prazer... Ana Michelle, mas pode me chamar de milagre, sortuda, rabo pra lua ou o que vc achar mais adequado.

Claro, ainda tenho um longo caminho e continuou em tratamento... mas gente, não estou correndo risco. A meta agora é diminuir ainda mais essa pereba maldita, zerar essa atividade, iniciar controle com hormonioterapia e aí operar e arrancar esse pedaço podrinho fora. Qdo falamos em metástase, não dá pra garantir uma cura completa (viver sem nenhuma medicação ou sem precisar de exames). A palavra certa agora é REMISSÃO... como falei, sempre terei que fazer medicações anticâncer que normalmente não tem nenhum efeito colateral  que debilite e dá pra viver 100% normal (tendo dor de barriga a cada vez que for abrir exame, mas ainda assim normal).

Exposição Meninas de Peito... #orgulho
Ontem iniciei uma medicação alvo, inteligente, cara, foda, recém chegada no Brasil. Daqui a 3 sessões refaço os exames pra ver a evolução.... e sabe de uma coisa? Tenho certeza que vou vir aqui contar que estou bem, em remissão e entrando no controle apenas com hormonioterapia e bloqueio do her 2 (o defeitinho de fábrica que eu carrego e causou tudo isso).

Então gente, o que eu quero dizer com tudo isso é que até segunda ordem to vivinha da silva... fui até pra balada arrasando no decote e peruca essa semana... estou com a vida super movimentada por causa do outubro rosa, muitos eventos, muitas ações, muitas vidas sendo mudadas graças ao Meninas de Peito (orgulho do meu projetinho).

Achei que ia morrer já torrei grana kkk
Xiiiii deu ruim....
“Morrer”, me fez enxergar exatamente o que eu quero pra mim... e também me fez ver com clareza a alma dos que me cercam... sério mesmo. Acho que você deveria fazer esse exercício...  sinta “como se não houvesse amanhã”, será mesmo que vc não está gastando vida com sentimentos tóxicos, orgulhos, vaidades, aparência, idiotice. Não seja raso e superficial... nunca. Ser profundo é o que nos faz humanos de verdade. E de todas as reflexões que vivi na “morte em vida” tem uma coisa que não me arrependo... eu vivo de verdade, eu sinto de verdade... e profundamente. Se isso me trouxe mágoas e decepções, paciência... eu me entrego a tudo, à dor e à alegria. E não carrego culpa nenhuma por isso e nem acho que o câncer intruso é resultado dos sapos que engoli caladinha ao longo da vida. A vida é feita de escolhas. E eu escolho continuar vivendo profundamente cada dia triste e feliz que o universo me oferecer... só assim vou poder colher maturidade e experiências.  E quer saber? Ainda tenho muuuuuuuuuuuuuuuito o que viver, se serão 5 dias ou 50 anos, eu não sei... mas vou continuar sempre entregando o meu 100% em tudo.  

A todos que estão ao meu lado, perto ou distante,  toda minha gratidão e amor!!!  Tamojunto caraiiiiiiiiiii <3

E tenho dito...

MORRER DE VEZ EM QUANDO É A ÚNICA COISA QUE ME ACALMA....  


bjs

19 de setembro de 2015

Notícias do front: chá de lenço, projetos, passeios, amigos e também bad news :(

Não me xinga. Sumi mesmo! A quimioterapia me pegou de jeito. Mal consigo ter concentração pra ler um gibi da Turma da Mônica imagina escrever kkkk sem chance... tá foda! Daí acumulou um monte de assunto desde o último post. Mas hoje vim atualizar a sociedade hahahha vamos começar pelas coisas boas: 

Fiz um chá de lenço


Taí uma boa ideia para a mulherada que raspou a cabeça. Que tal reunir as amigas para uma tarde divertida cheia de amor, risadas e lenços novos pra desfilar por aí? 




Como sempre falo, tem que espremer o limão... e eu espremo na dignidade kkkk amei minha festinha e meus 23 lenços novos. Se sua amiga, mãe, irmã está enfrentado essa bosta chamada câncer, juro, proponha um chá de lenço. Pra mim foi sensacional! Reunir as amigas, falar besteira, deixar o clima sobre a doença mais leve, se sentir amada... não tem preço!

Ahhhh e como eu sou apaixonada por dança do ventre recebi um super presente da Academia Sabah Ali para animar ainda mais a mulherada


Obrigada meninas por me proporcionarem essa tarde tão especial :) 

Projeto Meninas de Peito decolando...

Tudo começou há 4 anos como um grupo de apoio no Facebook criado por uma médica carioca que descobriu aos 33 um câncer de mama. Hoje, essa moça é meu peito direito, pq eu sou o peito esquerdo dela. Unidas pelo câncer... separadas pela Dutra mas com uma coisa em comum: a gente acha que a experiência com o câncer não precisa ser encarada com sofrimento... tem que ser leve, tem que ter humor, tem que ter amigas para dividir a carga.  Aí, com esse meu segundo encontro com o câncer decidimos ampliar o grupo e sair do Facebook. Além de um site glamour que está quase saindo do forno, em outubro, você vai ver esse logo lindinho em vários lugares por aí :) pq a gente tá muito chicccccccccccccc. Pra começar fechamos parceria com um projeto chamado "Marque esse Gol" que levará caminhões de mamografia pra alguns estádios do País... demais né??? 

Desculpa Brasil, virei personagem de exposição hahahahaha 
Também seremos tema de uma exposição no Shopping Frei Caneca... que tal??? Tá bom pra você??? Hahahahaha vários artistas plásticos ouviram as histórias de 10 Meninas de Peito que serão a inspiração para as obras. Estamos muito curiosas e orgulhosas por ter a chance de mostrar que câncer não é o fim como os filmes insistem em mostrar. Existe vida durante e após o tratamento... a gente continua sendo mulher, com sonhos, desejos, angústias... como todas as outras mulheres saudáveis. Me arrisco a dizer que a diferença é que nós temos uma sede pela vida muito maior. Se você perde um dia reclamando, a gente prefere ganhar um dia agradecendo por estar viva. Eu vou mostrar no meu insta a exposição... me adicionem lá ;) e claro, espero a visita de vcs na exposição de 2 a 24 de outubro no Piso 3 do Shopping Frei Caneca.

E tem outras coisinhas que ainda não posso contar... mas escreve aí... Meninas de Peito ainda será uma referência como grupo de apoio à mulheres com câncer. 


Me superei...

De acordo com meu planejamento inicial, a Disney Magic Run seria minha primeira tentativa de correr 10k. Mas, no meio do caminho tinha um câncer hahahaha paciência... quem não pode correr, anda, né não???? E pra quem estava com 9 sessões de quimio na cabeça até que eu fui bem... fiz a caminhada de 3k e quer saber??? Foi uma das maiores superações de todas... mais do que qquer corrida. Quantas pessoas saudáveis vc conhece que não levantam a bunda do sofá nem pra ir na padaria??? Pois é... eu acordei cedo e andei 3k 2 dias depois da nona sessão de quimioterapia... ráááá chupa essa manga... quem é que tá debilitada mesmo????


Passeios, baladas, amigas e companhias na quimio...

Nem sempre estou bem fisicamente.. mas quando estou eu aproveito (mascarada hahaha)!!! Tenho muita sorte nessa vida... estou cercada por pessoas incríveis que não deixam eu me sentir sozinha nem por um minuto... obrigada de todo meu coração!



Agora as notícias "menos" boas:

Quimioterapia judiou...

Sim meus caros, depois da 8ª sessão de Taxol o corpinho pediu água kkkk no feriado de 7 de setembro fiquei 4 dias de cama, sem força nem pra ir no banheiro. Foi foda. Muita dor, piriri, enjôo... tudo ao mesmo tempo. Imunidade bateu 1000 neutrófilos e 2500 leucócitos ( normal é acima de 1600 e 4500 respectivamente)... então fiquei andando mascarada por aí. Depois da décima sessão o médico suspendeu a quimio por uma semana pq estava correndo risco de ter um treco. Foi uma folga providencial para recuperar as forças... claro que fiquei chateada por atrasar o tratamento, mas não dá pra bancar a heroína... reconhecer as próprias limitações também faz parte. 

Tumor "apenas" diminuiu na fase 1...

Essa é a notícia que eu não gostaria de receber, muito menos dar pra vocês. Essa semana passei por esse baque. Fiz o primeiro exame para saber como foi a evolução depois de 10 sessões e aí descobri que não teve a resposta esperada. O médico esperava uma redução de no mínimo 50% no tamanho do tumor. Mas,  foi apenas de 20%. Acho que ver esse exame e a cara de "ué" do médico doeu mais do que o diagnóstico. Não esperava mesmooooo! Não sei muito bem o que vai ser agora. Vou concluir as 12 sessões de Taxol e aí terei uma folga para o organismo se recuperar. Nesse meio tempo farei novos exames para o médico decidir o plano B. 

Confesso que fiquei 24hrs chorando o tempo todo. A família tá catatônica.... não sabem o que falar, mas eu sinto que choram escondido (estão precisando mais de força que eu hahaha). Eu estou arrasada... mas desistir jamais... acredito que a vitória foi apenas adiada... deve ter algo muito bom no final disso tudo. Ninguém falou que seria fácil. E apesar de tudo eu penso assim: PELO MENOS DIMINUIU PORRAAAAA.... pq se apegar em coisa ruim né?

Masssss, o que eu quero Mário Alberto??? rsrsrs

Eu quero viver! E não falo apenas viver no sentido físico e biológico da palavra. Eu quero estar inteira em cada plano, em cada relacionamento, em cada conquista e realização. Quero momentos felizes e momentos difíceis que sempre nos fazem pessoas melhores. Quero realizar meu sonho de família, ter a casa sempre cheia, ver meus filhos crescerem e curtir cada fase de suas vidas. Quero um amor que mereça o meu 100% e envelheça ao meu lado dividindo todas as alegrias e tristezas. Quero deixar esse mundo aos 105 anos sabendo que de alguma forma fiz a diferença na vida de alguém e aproveitei cada centímetro cúbico de ar que tive em meus pulmões.

Morrer agora não faz parte dos meus planos.
E tenho dito. Vem ni mim plano B...

Aloca desocupada hahahaha 

Continuo contando com a oração e energia positiva de todos vocês....

bjs



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...